terça-feira, 21 de outubro de 2008

em algum lugar do mundo há uma panela com meu nome

embora nesse mundo se divida quase tudo
é quase impossível saber - se ao certo
ou com certeza o que é de fato
dele ou dela ou se a dor
que sente brinca com
a dor que sente o
outro.

6 comentários:

Anônimo disse...

A procura da tampa da panela perfeita!

Luiz Coelho disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luiz Coelho disse...

Bel,

que bom!

obs.: que coisa linda esse poema, hein?!

Elisa Kozlowsky disse...

acho que daria um ótimo título para o livro.

gduvivier disse...

lindo.
acho que brinca.

milene portela disse...

brinca de Hide and Seek!